Suculentas: saiba a maneira correta de cuidar

As plantas fazem parte da vida das pessoas e possuem um papel interessante, tanto ao conferir beleza para um local, deixando-o mais agradável, quanto o de promover uma atividade terapêutica de cuidados, como é o caso das suculentas.

Não há quem não goste de ver um belo arranjo de flores, um jardim bem verdinho ou uma parede de plantas, principalmente nas grandes cidades, onde o acesso à natureza é consideravelmente limitado.

Assim, ter uma visão na qual seja possível encontrar verde e natureza é o desejo de muitas pessoas. De fato, além de serem importantes para o meio ambiente, as flores e plantas em geral já possuem um papel que vai além da produção de oxigênio.

As plantas podem ser utilizadas em diversos produtos do dia a dia das pessoas. Um exemplo disso é um floral quântico para ansiedade, medicação que é feita com extrato de plantas e flores, que proporciona a solução para um quadro de saúde.

Em paralelo, as plantas também acabam sendo utilizadas para deixar um ambiente mais aconchegante e perfumado. Seja uma residência ou uma empresa, é possível ver vasos montados com espécies bonitas e diferenciadas.

Também há quem goste de cultivar plantas em casa, cuidando de diferentes tipos para garantir que elas cresçam de forma saudável. Uma possibilidade é começar uma horta, cultivando temperos que podem ser colocados nas refeições preparadas no lar.

Inclusive, é interessante ressaltar que o cuidado com as plantas acaba sendo um meio de terapia para algumas pessoas, que podem passar uma parte do seu tempo se dedicando ao tratamento das mudas, o que torna a rotina mais leve e agradável.

Diante de todas essas possibilidades de cultivo de plantas, é interessante dar destaque para uma espécie que conquistou a preferência das pessoas, e por vários motivos: as suculentas.

Certamente você já ouviu falar delas, mas talvez não tenha se aprofundado no assunto. Para saber mais sobre os tipos de suculentas, como plantá-las e como cuidar delas, siga na leitura deste artigo, que oferece informações valiosas sobre o tema.

Os tipos de suculentas

Ao ver uma área que acabou de passar pelo serviço de paisagismo e jardinagem em pequenos espaços, nem sempre é possível identificar todas as espécies contidas no local. Isso porque elas podem ser muitas e terem características diferenciadas.

As suculentas são plantas que conseguem armazenar uma boa quantidade de água em suas folhas, o que faz com que estejam sempre com boa aparência e possam ser facilmente identificadas em um jardim.

De modo geral, as suculentas são resistentes e conseguem sobreviver mesmo que os seus donos sejam descuidados e não ofereçam o tratamento ideal para a planta. No entanto, saber como cultivá-las é fundamental para que elas sobrevivam por mais tempo.

O termo “suculentas” se trata do nome comum da planta, mas ela possui diversas espécies diferentes, tanto em termos de gênero quanto de família. Um dos exemplos mais clássicos é o cacto, que possui a função de armazenar água em seu interior.

As suculentas são divididas em nove famílias, e podem chegar a ter 1.600 espécies diferentes. Algumas das mais comuns são:

  • Sedum Carnicolor;
  • Rosa de pedra (Echeveria);
  • Planta fantasma (Graptopetalum Paraguayense);
  • Colar de pérolas (Senecio Rowleyanus);
  • Rabo-de-burro (Sedum Morganianum);
  • Zebra (Haworthia Fasciata);
  • Orelha de Shrek (Crassula Ovata Gollum).

A Sedum Carnicolor é uma suculenta que precisa receber água na medida ideal, enquanto a Echeveria é uma das mais queridas, pois possui formato de flor. Ela indica nas suas folhas, que ficam mais alongadas, quando precisa ser exposta ao sol.

Além dessas, a Graptopetalum Paraguayense é levemente arroxeada e verde e as folhas possuem um aspecto leitoso. Já a Senecio Rowleyanus possui folhas esféricas. Na primavera, ela ganha flores brancas e com aroma de canela.

A Sedum Morganianum é uma suculenta de pendurar, tem cor verde acinzentada. Suas hastes chegam a um metro de comprimento e ela pode apresentar pequenas flores avermelhadas. Um suporte aramado para plantas pode acomodar bem o vaso dela.

Outro tipo de suculenta é a Haworthia Fasciata, que tem folhas grossas, duras e verdes, com formato de roseta. Suporta bem o sol, mas também as baixas temperaturas, além de ser uma boa opção para quem ainda não entende bem de cultivo.

Por fim, há a Crassula Ovata Gollum, com folhas compactas e de formato tubular. Pode ser colocada em terrários, sendo um dos seus pontos positivos a resistência a pragas e a doenças.

Quem tem um amplo jardim em casa e quer mantê-lo sempre bonito e bem cuidado, deve investir em serviços de jardinagem e paisagismo. No entanto, para cultivar apenas suculentas, o processo é mais simples do que se imagina.

Como plantar as suculentas?

Ao ver algumas suculentas em uma floricultura, em um supermercado ou em lojas especializadas em artigos para plantação, é possível adquirir algumas das principais espécies delas.

Depois de levá-las para casa, pode ser que você decida retirá-las do vasinho e colocá-las em um recipiente mais bonito ou interessante com uma bandeja plástica para mudas, de modo a construir um espaço mais verde dentro de casa.

Outra situação comum é a suculenta crescer e acabar ficando grande para o vaso em que foi plantada. Todas essas possibilidades requerem a plantação das suculentas em outra área ou recipiente.

Mesmo para quem não tem prática, o processo é relativamente simples. Para começar, é necessário escolher um vaso com furos para o escoamento da água.

Na sequência, é preciso adicionar substrato para suculentas com areia, terra adubada e fibra de coco moída, tudo nas devidas proporções, dentro do recipiente no qual a suculenta vai ser plantada.

Depois de preparar o novo vaso da suculenta, é preciso pegar o recipiente no qual ela está plantada, virá-lo de cabeça para baixo e bater até que a planta se solte, em conjunto com o seu torrão, que são a terra e as raízes.

Então, é preciso plantar a muda no novo vaso que já está com o substrato suficiente, tendo cuidado para que as folhas não sejam cobertas. Em seguida, deve-se bater nas laterais para que a terra se acomode e a raiz tenha contato com ela.

Para finalizar, pode-se cobrir a terra com pedriscos e com areia, elementos ajudam a água a não evaporar tão rapidamente. Por fim, se a ideia é propagar a suculenta, o indicado é usar o mesmo substrato especial.

Nesse caso, é necessário acomodar as folhas que estão saudáveis, mas sempre sem enterrá-las. Depois, é preciso borrifar água sobre elas entre uma e duas vezes na semana, a depender do clima regional.

De fato, assim como a instalação aquecedor solar é feita em etapas, a plantação de suculentas também é, de forma que isso vai garantir um bom crescimento para a espécie.

Como cuidar das suculentas

É verdade que as suculentas são conhecidas por serem plantas fáceis de cuidar. Diante disso, acaba que elas são ótimas opções para quem tem pouco tempo para essa atividade. Elas também são boas alternativas para apartamentos e até para escritórios.

Em paralelo, é preciso reforçar que, apesar de fácil, é importante saber quais ações fazem a diferença no cuidado com as suculentas. Isso porque elas também possuem necessidades especiais que precisam ser supridas.

A primeira observação é a de que as suculentas não devem receber mais água do que o normal, o que pode afetar em seu desenvolvimento. A melhor maneira de medir isso é verificando a umidade do substrato da espécie, diretamente com os dedos.

Além disso, se elas forem usadas para fazer a decoração de ambientes externos, é preciso estar atento ao tipo de vaso em que foram plantadas. Os de cerâmica costumam exigir regas com mais frequência, e os cachepots com menos, devido a drenagem do vaso.

Também é preciso estar atento no momento de adicionar água. O ideal é evitar o contato com as folhas, para que elas não apodreçam no processo.

Se houver água acumulada na bandeja ou prato que acomoda o vaso, é necessário retirar esse excesso, tanto pelo bem da suculenta quanto para evitar a proliferação do mosquito da dengue.

Vale lembrar que as suculentas também precisam de sol. Por isso, é importante colocá-las sempre próximas à área externa durante o dia, seja em janelas ou no quintal, sob o revestimento porcelanato para piscina Atlas.

Em paralelo, é indicado adubar o recipiente periodicamente. Nesse caso, o adubo NPK deve ser colocado sobre a terra ou pedriscos, de modo que o produto vá liberando os nutrientes cada vez que ocorre uma rega da suculenta.

Por fim, um ponto importante que precisa ser sempre analisado é a presença de pragas nas suculentas, evitando que elas se espalhem. Caso seja identificado, é preciso isolar a planta que foi afetada e remover os insetos, utilizando um cotonete molhado com óleo de Neem.

Depois, é necessário pulverizar o produto nas próximas regas, para que as pragas sejam removidas com sucesso. Com isso, as suculentas estarão protegidas e devidamente cuidadas.

Considerações finais

As suculentas conquistaram a preferência de várias pessoas, por serem espécies fáceis de cultivar e por embelezar qualquer ambiente de forma prática e duradoura.

Por isso, se você quer ter algumas suculentas em casa, não deixe de seguir as dicas abordadas aqui e tenha sucesso no cultivo dessas plantas no seu lar.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Portal de notícias atualizado diariamente para você. Nossa curadoria de conteúdo é pensada exclusivamente para informar e entreter nossos leitores diários. Tenha a certeza de que em nosso portal de conteúdo, você terá sempre a melhor fonte de informação a sua disposição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 × três =