Saiba o que é foliculite e aprenda como cuidar corretamente

A inserção de práticas simples na rotina é capaz de minimizar os efeitos da foliculite na pele

Mesmo com o uso de esfoliantes corporais e de cremes hidratantes, algumas pessoas ainda enfrentam a presença de algumas bolinhas avermelhadas pelo corpo, muito parecidas com as da acne. Esses sinais na pele surgem devido à inflamação nos folículos capilares, conhecida como foliculite. 

Em geral, o agravamento dessa doença está relacionado a diferentes fatores, que vão desde os maus hábitos alimentares até a ausência de uma rotina de cuidados diários com a pele. 

Então, para que você saiba mais sobre os principais sintomas da foliculite e como é possível combatê-los, montamos um conteúdo exclusivo com todos os detalhes acerca desse problema. Continue a leitura e aprenda com as nossas dicas!    

O que causa a foliculite? 

Os folículos capilares estão situados em locais do corpo nos quais ocorre o crescimento de pelos. Sua estrutura tem formato parecido ao de uma bolsa, servindo para guardar dentro dela a raiz dos fios.  

Muitos agentes externos podem comprometer o funcionamento desses folículos, deixando-os inflamados a ponto de provocarem o desenvolvimento dos sintomas característicos da foliculite. 

Contudo, é comum que o aparecimento dessa doença seja associado, principalmente, a práticas como o uso de lâminas ou de roupas justas, a escoriações e feridas na pele, picadas de insetos ou ainda à aplicação contínua de cremes corticoides e antibióticos. 

Existem diferentes tipos de foliculite? 

Atualmente, os especialistas defendem a existência de diferentes categorias de foliculite, que se diferenciam pela gravidade e características dos sintomas. Na sequência, descrevemos os principais tipos diagnosticados nos pacientes para que você saiba reconhecê-los. 

Foliculite superficial

Na maioria dos casos, as lesões da foliculite não chegam a atingir a estrutura interna dos folículos capilares, por isso elas são chamadas de superficiais. Nesse agrupamento estão incluídos os seguintes tipos: 

  • Estafilocócica: por meio de uma ferida aberta, a bactéria Staphylococcus aureus entra no corpo, causando o aparecimento dos sintomas da foliculite, como nódulos, coceira e dor.  
  • Pseudômonas: essa foliculite é desenvolvida pela presença de bactérias pseudômonas no organismo. Elas são comuns em locais úmidos e provocam lesões com pus quando entram no corpo.
  • Pseudofoliculite de barba: os pelos encravados, após o processo de barbear, também geram um tipo de foliculite específica na região do rosto e do pescoço dos homens. Já as mulheres enfrentam essas mesmas reações na área da virilha e da axila após a depilação com cera.   
  • Pitirospórica: no caso da foliculite pitirospórica, os efeitos são provocados pelo fungo Malassezia, que se hospeda nas partes úmidas do organismo, gerando também bolhas de pus que causam muito incômodo. 

Foliculite profunda  

Quando a estrutura interna dos folículos capilares são atingidos pela inflamação da foliculite, as complicações para o organismo acabam sendo mais graves. Esse processo costuma ocorrer nos seguintes tipos: 

  • Sicose da barba: a bactéria Staphylococcus aureus também é o principal agente causador da “sicose da barba”, que atinge áreas como o rosto, a boca e a mandíbula com o desenvolvimento de lesões em formato de pápulas. 
  • Gram-negativa: em geral, a gram-negativa aparece em usuários que fizeram o uso prolongado de antibióticos ou que estão em tratamento contra a acne, deixando marcas na pele e no rosto. 
  • Furúnculos e carbúnculos: o furúnculo surge após a inflamação interna de um folículo capilar, gerando nódulos vermelhos e doloridos. Quando isso acontece em um conjunto de folículos, é chamado de carbúnculo.  
  • Eosinofílica: na eosinofílica, as lesões são parecidas com a acne, porém elas coçam bastante e deixam a pele escura. Os especialistas acreditam que essa doença tem relação com o fungo Pityrosporum

Como é feito o tratamento para foliculite? 

O diagnóstico da foliculite é feito por um dermatologista a partir de um exame físico ou da observação médica. Esse processo é importante para identificar o tipo da doença em busca do melhor tratamento para minimizar os sintomas. 

Em casos simples são recomendados apenas o uso de pomadas e medicações para tratar os efeitos da foliculite. Mas, se as lesões forem profundas, o especialista ainda pode pedir a extração da amostra de uma borbulha para avaliar o quadro inflamatório com maior profundidade e, assim, definir o tratamento eficaz.    

O que fazer para amenizar os sintomas da foliculite? 

Além das indicações do médico, a inserção de certos cuidados na rotina também ajudam na redução dos sintomas da foliculite. Fique atento às dicas abaixo para saber quais são essas estratégias e como elas contribuem na prevenção contra essa doença.   

Estabeleça uma rotina de limpeza e hidratação da pele

Quanto mais seca é a aparência da pele, mais ela estará suscetível ao aparecimento das bolinhas vermelhas e com prurido. Por isso, manter a pele sempre limpa e hidratada com os produtos certos de higiene é essencial para evitar as lesões no corpo.  

Tenha uma alimentação equilibrada 

Os alimentos gordurosos e a falta de hidratação também estão relacionados ao agravamento dos efeitos da foliculite na pele. Então, mantenha ao máximo uma alimentação balanceada, incluindo principalmente frutas, verduras e legumes no cardápio. 

Evite o uso de roupas apertadas 

Tanto as peças sintéticas quanto as roupas justas devem ser evitadas por quem tem foliculite. Isso porque elas impedem que a respiração da pele aconteça de forma natural e ainda causam atrito em diferentes partes do corpo, intensificando as lesões dessa doença.

Portal de notícias atualizado diariamente para você. Nossa curadoria de conteúdo é pensada exclusivamente para informar e entreter nossos leitores diários. Tenha a certeza de que em nosso portal de conteúdo, você terá sempre a melhor fonte de informação a sua disposição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × dois =