Portos do Brasil e sua importância

Os Portos do Brasil são essenciais para a economia do país. Uma das maneiras mais utilizadas no mundo para fazer comércio é através do transporte marítimo, principalmente por conta do seu custo de transporte.

Ainda que demore mais para que as mercadorias sejam entregues, em comparação ao transporte aéreo, os custos relacionados à frente proporcionam um maior custo benefício.

Essa vantagem faz com que ainda hoje, esse transporte seja um dos mais utilizados para transportes de produtos entre países.

Para que esse transporte seja feito de forma eficiente, é preciso que o país tenha um bom complexo portuário para receber ou enviar as mercadorias.

Diante disso, vamos apresentar neste artigo um pouco da história dos portos do Brasil, a importância do transporte marítimo, os principais portos do país, e a sua importância para a economia do Brasil.

História dos Portos do Brasil

O complexo portuário é o segmento mais tradicional quando falamos da economia brasileira, isso porque ele se confunde com a história do país, uma vez que seu início se deu na época da colonização.

Em 1808 o então Rei D. João VI, decidiu abrir os portos para outras nações amigas. Antes desse período a abertura era restrita apenas à Inglaterra.

No ano de 1846, foi criada em Niterói (RJ) a Companhia de Estabelecimento de Ponta da Areia, e no fim do século XIX, deu-se início às concessões para construções de portos do Brasil.

Já em 1911, através do Decreto nº 9.078, foi criada a Inspetoria Federal de Portos, Rios e Canais, assim como a Inspetoria Federal de Navegação vinculadas ao Ministério da Viação e Obras Públicas.

Em 1993, a Lei nº 8.630, de 25 de janeiro de 1993, o governo promoveu uma reforma portuária, passando a administração dos portos para as concessionárias portuárias estaduais e Companhias Docas.

Nesse período pode se perceber que nesse setor ocorreram mudanças significativas para o desenvolvimento portuário do país.

No ano de 2001, foi criada através da Lei nº 10.233, a ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviário), que faz a regulação, fiscalização das atividades e supervisão dos complexos portuários.

Com o objetivo de expandir a economia do Brasil, a Lei nº 12.815, de 5 de junho de 2013 foi modificada, acrescentando algumas medidas de incentivo à modernização da gestão e infraestrutura dos portos.

A importância do transporte marítimo

O transporte marítimo no Brasil é uma das formas mais importante tanto para os setores industriais, como também para a logística de transportes de mercadorias.

Além do transporte de mercadorias, o setor de transporte marítimos também incentiva a criação de empregos em vários estados do país.

Por mais que esse tipo de transporte sempre tenha enfrentado adversidades relacionadas a estruturas, tarifas e burocracias, ainda assim, ele conseguiu se estruturar.

 Dessa forma se tornou uma das principais alternativas para o recebimento e envio de mercadorias para estados dentro do território, assim como outros países.

Podemos citar algumas vantagens do transporte marítimo, como:

  • Transporte de um maior número de carga, podendo reduzir os custos passados para o consumidor.
  • Através do transporte marítimo é possível transportar cargas da mais variadas, independentemente de ser de longa ou curta distância.
  • Proporciona mais vantagens quando se transporta uma carga maior, por conta da redução de custos.
  • Em relação a danos ou perdas, é possível observar que nesse tipo de transporte, o prejuízo é bem menor.

Portos do Brasil são indispensáveis para economia

Há uma ligação muito forte entre o transporte marítimo e a globalização. Pode-se dizer que sem o transporte marítimo, a globalização como a conhecemos hoje não teria sido possível. 

Após a Segunda Guerra Mundial, em 1950, pouco mais de 500 milhões de toneladas de mercadorias foram transportadas pelo mar. Hoje, mais de 10 bilhões de toneladas passam pelo mar todos os anos! 

Fala-se muito sobre a “economia desmaterializada”. Nunca antes a economia internacional dependia tanto de fluxos físicos e bens materiais. 

E é o transporte marítimo que permite esses fluxos consideráveis: 80% a 90% do volume de transporte de mercadorias em escala internacional é feito por mar.

Isso é baseado em uma grande especialização de navios que foi gradualmente criada antes e depois da Segunda Guerra Mundial. Começou com granel, líquido (petróleo) e sólido (carvão, grãos…), e encontrou uma culminação com a conteinerização que possibilita “colocar o mundo em caixas”. 

A especialização dos navios permite uma produtividade muito alta de manuseio nos portos: como um avião, os navios ficam muito pouco tempo nos portos. Além disso, essa especialização dos navios permitiu o aumento do seu tamanho, assim, economias consideráveis de escala. 

Hoje, os navios de contêineres (mas poderíamos fazer a mesma demonstração com petroleiros) transportam até 20.000 caixas, ou até 200.000 toneladas dos produtos mais diversos. Essa produtividade e economia de escala levam à redução dos custos de transporte. 

Ao longo do tempo, houve uma tendência de queda nos custos de transporte que, ligados à extrema confiabilidade desses sistemas de transporte, possibilitaram a implantação de cadeias de valor e sistemas de produção em escala internacional. 

Graças a essa aliança de extrema confiabilidade e custos de transporte muito baixos, uma fábrica de montagem, onde quer que esteja localizada, pode ser alimentada por componentes que vêm de todo o mundo. 

Daí um efeito de massificação extremamente importante também possibilitada pelo estabelecimento de redes marítimas em escala global. Grandes operadores internacionais implantam serviços através de sistemas de hub, assim como no transporte aéreo, e assim misturam o globo em escala global.

O transporte marítimo, portanto, desempenha um papel fundamental na globalização atual. Sem transporte marítimo, sem contêineres, não há globalização. Soma-se a isso, é claro, todos os outros fatores do livre comércio e da internacionalização das cadeias de valor.

Transporte marítimo como serviço


O transporte marítimo é um serviço, mas é organizado como uma indústria real, a serviço do comércio internacional, que mobiliza absolutamente considerável capital e recursos.

Os portos realizaram trabalhos de expansão para acomodar esses novos navios, adaptar suas ferramentas de manuseio, novamente com os principais operadores de manuseio em escala global. 

Assim, a priori, transporte marítimo, como ferramenta técnica, só precisa ir mais longe, visando um crescimento cada vez maior.
Agora você já sabe a importância dos portos do Brasil para nossas vidas, espero que tenha gostado, até a próxima!
Esse conteúdo foi desenvolvido em parceria com o site Naval Porto Estaleiro, um site especializado em economia e indústria naval.

Portal de notícias atualizado diariamente para você. Nossa curadoria de conteúdo é pensada exclusivamente para informar e entreter nossos leitores diários. Tenha a certeza de que em nosso portal de conteúdo, você terá sempre a melhor fonte de informação a sua disposição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

sete − quatro =