O que é IPCA?

O IPCA, também conhecido como Índice de Preços ao Consumidor Amplo, funciona como um termômetro responsável por medir o nível de inflação na economia brasileira, e quais serão os impactos causados nos investimentos da população.

Estabelecido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística) desde o ano de 1979, o método de pesquisa tem como função principal medir, mensalmente, as variações do preço do mercado, avaliando as perdas do poder de compra.   

Todas as informações coletadas no estudo realizado em estabelecimentos comerciais, domicílios, prestadores de serviços e concessionárias de serviços públicos são calculadas durante todos os meses do ano, do dia 1º ao dia 30 ou 31 de cada um deles.

Considerando que o Brasil possui aproximadamente 5.568 municípios atualmente, visitar todos os lares e comércios presentes neles seria quase que impossível. Portanto, o cálculo é feito com base em 400 mil amostras de preços, em cerca de 30 mil estabelecimentos.

Um dos requisitos básicos para que o IBGE obtenha dados concretos é medir somente os pagamentos feitos à vista pelos consumidores do país. Entre os produtos e serviços que compõem a pesquisa, podemos mencionar alguns a seguir:

  • Arroz e feijão;
  • Carnes;
  • Transporte;
  • Mercado pet;
  • Serviços médicos;
  • Plataformas streaming;
  • Cabeleireiro e barbeiro.

O IPCA costuma analisar a inflação das famílias das regiões metropolitanas, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém, Distrito Federal e Goiânia, que possuem renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.  

A importância desse medidor está atrelada à necessidade de o Governo Federal monitorar a inflação anual e, a partir disso, conseguir tomar decisões assertivas a respeito das políticas monetárias e econômicas do país que serão adotadas.  

Qualquer cidadão consegue ter acesso aos valores de IPCA acumulados nos últimos 12 meses de um ano. Para isso, basta ter acesso à internet e visitar o site do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística, que disponibiliza todas as porcentagens referentes à coleta.

É recomendável que todos os investidores estejam atentos à oscilação dessas taxas, pois elas podem ter influência direta em alguns investimentos, como o Tesouro Direto, programa de venda de títulos públicos, entre outras possibilidades.  

Pessoas que alugam imóveis para terceiros também costumam ser adeptas das variações de IPCA para fazer os reajustes periódicos nos valores dos aluguéis e nas manutenções, como os serviços terceirizados de manutenção predial.

Além disso, grande parte dos comerciantes e empreendedores precificam os seus produtos e serviços de acordo com o IPCA. Dessa forma, os consumidores passam a ter uma noção exata da média de preços que vão encontrar ao efetuar uma compra.

Quais as categorias medidas pelo IPCA?

Estar atento às variações do IPCA é importante tanto para investidores, quanto para comerciantes e consumidores. Isso afeta diretamente vários aspectos e necessidades presentes no dia a dia de cada cidadão brasileiro, desde a alimentação até o vestuário.

Todas as categorias medidas pelo IBGE são essenciais para guiar o custo de vida familiar de muitos residentes das regiões metropolitanas do país e alguns municípios. Portanto, quaisquer pessoas devem estar cientes do percentual das seguintes esferas analisadas:

1. Artigos de residência

Todos os artigos residenciais, incluindo os destinados ao espaço de home office, como um armário de escritório, podem ter os seus preços medidos pelo termômetro econômico conhecido como Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.

Um dos fatores determinantes na precificação de algum item, de acordo com o método usado no IPCA, é a lei da oferta e da demanda. Quanto maior a procura dos clientes, mais estável ou até mesmo menor se encontra o preço de algum produto.

O contrário também se aplica a essa estratégia. Quanto maior a demanda e menor a oferta, maior será o valor oferecido aos consumidores. Portanto, antes de realizar uma compra, é essencial estar atento aos detalhes econômicos aplicados.

2. Vestuário  

No caso da venda e da aquisição de roupas, o IPCA, algumas vezes, pode acabar tendo como base o preço do dólar, posto que muitos produtos consumidos pelos brasileiros vêm de outro país e são pagos com a moeda norte-americana.

Portanto, se ela encarece, automaticamente alguns itens têm o preço elevado e influenciam o comportamento do consumidor das várias metrópoles do país, que é obrigado a pagar em real o que foi cotado com base no dólar dos Estados Unidos.

Isso acontece, principalmente, com marcas de roupas importadas. Diante disso, antes de resolver atualizar um guarda-roupa com mais economia, é imprescindível considerar e analisar essas possíveis mudanças repentinas que ocorrem na inflação nacional.

3. Comunicação       

Hoje em dia, a comunicação entre a população brasileira acontece das mais variadas maneiras, desde a entrega de uma carta em envelope kraft personalizado, até a troca de e-mails, mensagens e telefonemas. Para isso, são necessários alguns itens.

Computadores e telefones, que servem como intermediários nesse processo de interação, assim como o setor de vestuário, também necessitam de matérias-primas derivadas de outros países que, na maior parte, utilizam o dólar como moeda.

Com isso, automaticamente comprar algum desses produtos úteis na comunicação, em território brasileiro, torna-se mais caro ou mais barato em determinados períodos de um ano. Por isso, é essencial estar inteirado das últimas cotações realizadas pelo IPCA.

4. Educação

Assim como acontece na categoria de artigos para residência, na educação, a lei da oferta e da procura tem influência na etapa de precificação. Além disso, quando o IPCA está em alta, o dinheiro das famílias brasileiras passa a ser desvalorizado.

Com isso, o custo de vida se torna mais alto e algumas ações e investimentos deixam de ser realizados no setor educacional, seja ele básico, superior, ou técnico, como os que formam cidadãos capazes de realizar a revitalização de piso de madeira.

Inclusive, de acordo com o Instituto de Estudos Socioeconômicos, entre 2019 e 2021, a verba em educação no Brasil teve uma queda, passando de R$ 126,6 bilhões para R$ 118,4 bilhões. Somente em 2021, as despesas autorizadas somaram R$ 129,8 bilhões.

5. Despesas pessoais

Geralmente, as despesas pessoais acontecem quando há estabilidade financeira. Isso ocorre se o salário mínimo cresce acima da inflação. Portanto, se o IPCA sobe 5% ao ano e o rendimento do trabalhador sobe 3%, o cidadão passa a empobrecer.

Deste modo, para que os consumidores passem a investir em gastos secundários, como um provedor de internet para condomínios ou uma plataforma streaming, é essencial que haja atenção e compreensão dos fatores que fazem esse termômetro oscilar.

É importante estar ciente de que a redução do IPCA não é sinônimo de queda nos preços gerais, mas de estagnação dos meses anteriores. Para que aconteça o processo de deflação, o IPCA precisa ter percentuais negativos nas categorias de interesse.

6. Saúde e cuidados pessoais

Ao menos alguma vez na vida, você já foi a alguma farmácia ou loja de produtos de beleza e encontrou preços altos em relação aos meses anteriores. Esse fenômeno está ligado ao medidor do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.

A precificação de itens como cosméticos profissionais para salão pode estar relacionada a diversos fatores, desde a matéria-prima das substâncias usadas em sua composição química, até o processo logístico dos produtores.

Além disso, quando um comerciante precisa investir um determinado valor para que haja a produção, o transporte e a venda de suas ofertas, a tendência é que ele repasse o valor extra pago por ele aos consumidores finais, ou seja, os clientes.

7. Alimentação e bebidas

Ao longo do ano, ao adentrar uma porta comercial de aço de um supermercado, é comum que a cada mês a população das metrópoles brasileiras tenham surpresas agradáveis e desagradáveis ao presenciar os preços de alguns itens básicos.

O setor de alimentação e bebidas é influenciado, mensalmente, por diversas situações que alteram o percentual do IPCA. A cotação do dólar, a fartura ou escassez das safras, o pagamento do transporte e dos distribuidores são alguns deles.

Portanto, antes de visitar um estabelecimento em busca de repor a dispensa de um lar, é recomendável que toda a população tenha conhecimento dos percentuais de cada categoria analisada pelo IBGE.

Considerações finais

Uma sigla tão pequena tem uma grande influência na rotina da população brasileira. Qualquer ação que seja tomada pelos trabalhadores, desde a compra de um alimento até uma lavagem de colchão a seco, está atrelada aos percentuais que ela carrega.

É imprescindível que todos estejam preparados para contornar situações de influência e garantam que a sua renda mensal seja superior ou ao menos igual ao cenário mensal de cada oscilação do IPCA.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Portal de notícias atualizado diariamente para você. Nossa curadoria de conteúdo é pensada exclusivamente para informar e entreter nossos leitores diários. Tenha a certeza de que em nosso portal de conteúdo, você terá sempre a melhor fonte de informação a sua disposição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

vinte − 8 =