Entenda como funciona um seguro para bicicleta

O seguro para bicicleta tem se tornado cada vez mais comum e procurado. Afinal, com um número maior de ciclistas, também houve um aumento no número de roubos e furtos de bikes. Só no estado de São Paulo, por exemplo, é registrado 1 roubo a cada 40 minutos.

Se você deseja se proteger desse problema, o seguro para bicicleta, sem dúvida, é um dos principais aliados. Mas você sabe como funciona essa apólice e contra o que ela te protege? Siga lendo e entenda melhor como funciona e porque contratar um seguro para bicicleta!

Como funciona o seguro para bicicleta?

O seguro para bicicleta pode ser encontrado em diferentes seguradoras e também em empresas específicas para ciclistas. Cada empresa pode oferecer um seguro diferente (por isso é importante conferir as particularidades antes de contratar). Mas, de forma geral, eles funcionam de maneira relativamente semelhante. Veja os principais pontos.

Coberturas

As coberturas variam de seguradora para seguradora. As mais comuns (e presentes na maioria das apólices) são:

  • roubo ou furto qualificado, tanto no decorrer do uso, como durante o transporte ou com a bike guardada;
  • acidente ou quebra, cobrindo gastos com consertos e substituição de peças, tanto durante o pedal como o transporte;
  • responsabilidade civil, cobrindo danos causados a terceiros, como no caso de atropelamentos.

Algumas seguradoras podem oferecer assistências e coberturas extras, como extensão internacional, assistência 24 horas, reboque para até 40km do local do evento, transporte para o ciclista e a bicicleta em caso de mal súbito e até personal fitness (com orientações sobre treino) e assistência nutricional.

O que fica de fora

Nenhuma seguradora oferece proteção contra furto simples. Ou seja, aquele que acontece sem que o bandido tenha que quebrar ou invadir algo. Geralmente esse tipo de furto está associado a imprudência do ciclista, que deixou a bike desprotegida.

Por exemplo, caso você estacione a magrela em frente a uma padaria, mas não coloque nenhum cadeado ou outro meio de segurança. O bandido passa na frente do estabelecimento e leva seu bike. Isso é furto simples – e fica de fora de qualquer seguro.

Além disso, outras situações também não são cobertas, como:

  • deterioração gradual causada pela idade da bike ou por falta de manutenção;
  • bike sob a guarda de terceiros;
  • danos preexistentes;
  • comportamento negligente do segurado;
  • furto qualificado ou dano dentro do veículo transportador. Ou seja, a cobertura contra furto e dano só é válida durante o transporte. Se você deixar seu bike dentro do carro estacionado e você não estiver presente, a cobertura perde a validade.

Alguns seguros também não cobrem os acessórios. Outros oferecem essa possibilidade por um pagamento de taxa adicional. Sempre confira a questão antes de assinar.

Bicicletas elétricas

Algumas seguradoras também cobrem as bicicletas elétricas contra roubo, furto qualificado, danos materiais do equipamento durante pedalada ou transporte e também no caso de acidentes contra terceiros.

Documentos e vistoria

Alguns seguros são mais burocráticos que outros. Mas, de modo geral, todos solicitaram uma vistoria da bike. O que muda é a forma como esse processo é feito. As melhores seguradoras oferecem a versão online de vistoria.

Nela, você envia fotos específicas da sua bicicleta (de acordo com a solicitação da seguradora) e aguarda o resultado da inspeção online. É essa vistoria que ajudará a definir o valor da sua bicicleta que será segurado.

Em relação aos documentos, alguns seguros apenas aceitam bicicletas com nota fiscal. E outros não têm essa exigência.

Custos

O valor do seguro depende de uma série de fatores. Mas é importante que você não compare apenas os custos finais. Sempre opte pela versão com melhor custo-benefício. Afinal, muitas vezes, pode ser vantajoso pagar um pouco a mais, porém ter uma cobertura mais eficiente, assistência 24 horas ou outros benefícios adicionais importantes para o seu perfil de ciclista.

Avalie, também, as formas de pagamento – já que elas podem ser diferentes dependendo da seguradora. Algumas parcelam o valor em poucas vezes, tornando o custo mais pesado. Outras funcionam no sistema de assinatura, com a cobrança de uma mensalidade – e um valor mais acessível.

Franquia

Todo seguro para bicicleta cobra franquia. O que muda é o valor. Em geral, ele fica em torno de 10% do valor da bike. Ou pode ser definido de acordo com o valor da bicicleta. Também é possível que haja mudança na forma como a franquia é descontada. O mais comum é que ela seja descontada diretamente da indenização, agilizando todo o processo.

Características da bicicleta

Alguns seguros têm faixas de valores para as bicicletas as quais são aceitas. É possível encontrar seguros mais acessíveis, que aceitam bikes a partir de R$1000 – e outros que apenas aceitam bikes mais caras. Também há um limite do valor segurado, em geral em torno de R$ 75 mil.

Sinistros

Em caso de sinistro, você deverá acionar a seguradora pelas formas de contato que lhe foram passadas (telefone, aplicativo, entre outros). Caso a sua bike tenha sido roubada ou furtada, você receberá o valor total segurado descontado o valor da franquia.

Por exemplo, se você tem uma bike segurada de R$ 5 mil e uma franquia de R$500, caso ela seja roubada, você receberá um valor de R$4500.

Intrasferível

A maioria dos seguros de bike são intrasferíveis. Ou seja, se você vender sua magrela, o novo proprietário não terá direito ao seguro, sendo preciso fazer uma nova apólice. Nesse caso, é preciso cancelar a apólice vigente ou alterá-la (caso você compre uma nova bike).

Vale a pena ter um seguro de bike?

Um seguro para bicicleta é uma forma de se prevenir. Se você tem uma magrela com custo alto, que você equipou ou que, caso seja roubada, você não conseguirá substituir rapidamente, o seguro é muito interessante.

Pois, em caso de furto, roubo ou dano, você não ficará na mão – e terá o dinheiro para comprar outra magrela e voltar a pedalar.

Além disso, muitas seguradoras oferecem coberturas e assistências adicionais, que tornam mais seguro o próprio ato de pedalar. Por exemplo, se você precisa sempre de um grupo para pedalar, ao ter um seguro completo, poderá começar a pedalar sozinho. Afinal, terá a certeza de que, se algo acontecer com você, poderá acionar a assistência e ter direito a reboque ou transporte.

Agora, se você faz um uso eventual da bicicleta ou ela não é tão cara (caso seja roubada, você consegue rapidamente comprar uma nova), o seguro pode não ser tão interessante.

Agora você já sabe como o seguro para bicicleta funciona? Ainda tem alguma dúvida? Deixe um comentário pra gente!

Portal de notícias atualizado diariamente para você. Nossa curadoria de conteúdo é pensada exclusivamente para informar e entreter nossos leitores diários. Tenha a certeza de que em nosso portal de conteúdo, você terá sempre a melhor fonte de informação a sua disposição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

oito + três =