Como um exame de imagem consegue evitar infarto

Exame de imagem das artérias pode trazer um diagnóstico precoce de infarto. Por meio da angiotomografia, é possível ver com clareza se há gordura ou cálcio nas artérias.

O exame de angiotomografia de artéria coronária trata-se de um grande avanço da medicina. Ao contrário dos exames funcionais, a angiotomografia fornece um diagnóstico, continue lendo para entender melhor o assunto!

Como a angiotomografia evita infarto?

Diferente dos exames funcionais como o eletrocardiograma de esforço, o ecocardiograma de estresse e os exames da medicina nuclear que apenas detectam a artéria com mais de 70% de obstrução, a angiotomografia fornece um diagnóstico precoce.

Sendo assim, é possível ver nitidamente se há gordura ou cálcio acumulados nas paredes arteriais mesmo com 5% de obstrução. Para o exame, se usa um aparelho de tomografia computadorizada multislice.

O aparelho conta com uma tecnologia avançada que possibilita que o médico veja uma imagem 3D das artérias coronárias. O exame é feito com o auxílio de um tomógrafo (aparelho de Raio X) acoplado a um eletrocardiograma.

Dessa forma, o médico deverá localizar o coração e injetar um contraste para visualizar melhor as artérias no monitor. O processo é bem rápido, levando por volta de 5 segundos para captar a imagem do coração do paciente com cortes milimétricos feitos em todo órgão.

Os novos aparelhos contam com 1 ou 2 tubos de Raio X e entre 256 e 320 detectores, que realizam em questão de segundos cortes milimétricos na imagem. Este número é muito maior que outros tomógrafos, que possuem apenas uma ou duas fileiras de detectores, usados para radiologia geral.

A rapidez também faz com que a radiação do aparelho seja menor.

Após o diagnóstico

Com o diagnóstico dado, o médico poderá intervir nos hábitos do paciente, para evitar que surja uma isquemia (falta de sangue no músculo cardíaco que pode causar infarto), arritmias graves, disfunção transitória da função da bomba do coração entre outras doenças.

Além disso, o exame também poderá convencer o paciente que ele tem uma doença, já que as imagens são bem bitolas e ele poderá ver as placas de gordura nas artérias.

De acordo com o cardiologista Luiz Francisco Ávila, cerca de 4% a 6% dos pacientes que procuram os Pronto Socorros nos Estados Unidos, vão embora do hospital sem diagnosticar nenhuma doença, mas tendem a sofrer um infarto.

Alguém que chega no hospital com queixa de dor toráxica, pode levar cerca de 12 horas fazendo os exames. Por outro lado, com o aparelho de tomografia computadorizada multislice, o tempo será de 15 minutos.

Quem deve fazer o exame?

Esse exame será indicado pelo médico, que irá avaliar se o paciente possui risco alto, moderado ou leve. O alto risco indica que o paciente tem doenças como diabetes ou hipertensão, é sedentário, fumante ou tem casos de parentes próximos que já tiveram um infarto.

Já aqueles com risco moderado, que é a maioria, possui um ou dois fatores de risco. Porém, os exames não indicam que existe um problema, como entupimento das artérias e colesterol alto.

Por fim, os de baixo risco são, normalmente, pessoas jovens, com hábitos saudáveis, não têm colesterol alto e são metabolicamente corretos.

O resultado de uma série complexa de eventos acumulados ao longo do tempo pode desencadear o infarto do miocárdio. Contudo, também é possível ocorrer devido a oclusão das artérias coronárias por causa de um processo inflamatório com relação à aderência de placas de colesterol em suas paredes.

O desprendimento de um fragmento dessas placas ou a formação de um coágulo de sangue, um trombo, dentro das artérias acabam por bloquear o fluxo sanguíneo e gera graves e irreversíveis danos ao coração (necrose do músculo cardíaco).

Sem dúvida, o melhor jeito de evitar o infarto é reduzir a exposição aos fatores de risco, por exemplo:

  • Fumo;
  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Níveis altos de colesterol;
  • Estresse;
  • Vida sedentária e/ou histórico pessoal ou familiar de doenças cardíacas.

Adotar uma atitude mental mais confiante e positiva é um fator importante para a recuperação dos infartados. E vale ressaltar que os sobreviventes de um infarto que adotam hábitos de vida saudável, na maior parte, conseguem retornar à vida normal e voltar às suas atividades profissionais.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, os alimentos benéficos ao coração são os seguintes:

  • Peixes;
  • Farelo de aveia;
  • Azeite de oliva;
  • Cenoura;
  • Mamão;
  • Tomate;
  • Goiaba;
  • Café;
  • Leite desnatado.

Infarto agudo de miocárdio

O Ministério de Saúde realizou um levantamento que apontou que cerca de 76.383 pessoas morreram de infarto agudo de miocárdio só em 2009. No Brasil, 72% dos óbitos são por causa de doenças crônicas não transmissíveis, em outras palavras, mais de 742 mil mortes por ano.

Entre as causas, as mais letais são:

  • Doenças cardiovasculares (31,3%);
  • Câncer (16,2%);
  • Doenças respiratórias crônicas (5,8%);
  • Diabetes mellitus (5,2%).

Porém, os dados do Ministério da Saúde apontam que o Brasil teve uma redução de 20% por essas causas na última década. Especialmente entre as doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas.

Artérias coronárias

As artérias são as responsáveis por transportar sangue rico em oxigênio para nutrir o miocárdio (músculo cardíaco). O coração é, basicamente, uma bomba que impulsiona sangue por meio de uma contração rítmica de suas paredes musculares (miocárdio), para o corpo todo.

Apesar de conter muito sangue em seu interior, o coração não é capaz de nutrir-se. Isso significa que ele não é capaz de absorver oxigênio para a função contrátil deste sangue da cavidade cardíaca.

Sendo assim, a nutrição do músculo cardíaco ocorre por meio das artérias coronárias, localizadas na emergência da artéria aorta, que vão para a superfície do coração e ramificam-se diversas vezes.

Ou seja, estas artérias possuem a importante função de nutrir o coração. Quando estão obstruídas, falta sangue para nutrir o músculo cardíaco e quando a obstrução é total, acontece o infarto do miocárdio, que é a morte deste músculo, devido a ausência de sangue.

Conclusão

Viu só como a angiotomografia é capaz de detectar quando há algo de errado com as artérias e pode evitar o infarto? Mas, lembre-se que a melhor forma de prevenir-se é adotando um estilo de vida mais saudável, com exercícios físicos e alimentação balanceada.

Por fim, não esqueça de compartilhar este conteúdo com os seus amigos, caso tenha sido útil para você!

Portal de notícias atualizado diariamente para você. Nossa curadoria de conteúdo é pensada exclusivamente para informar e entreter nossos leitores diários. Tenha a certeza de que em nosso portal de conteúdo, você terá sempre a melhor fonte de informação a sua disposição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 × quatro =