Afinal, por que investir no Tesouro Direto?

Títulos públicos podem ser uma boa opção para investidores, conheça as razões.

Quem ingressa no mundo dos investimentos, logo se depara com o tesouro direto como uma das opções mais recomendadas pelo mercado. E não é por acaso, uma vez que com apenas R$ 30 já é possível comprar títulos públicos. 

A economista e representante da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Juliana Barbosa, explica que o Tesouro Direto é uma iniciativa do Tesouro Nacional em colaboração com a B3, a Bolsa de Valores brasileira. O programa foi concebido com o propósito de democratizar o acesso aos títulos públicos federais para pessoas físicas e tem três produtos disponíveis: Tesouro Selic, Tesouro Pré-fixado e Tesouro IPCA. 

Ela alerta que, embora seja considerado um tipo de investimento em renda fixa, isto não significa que os preços e taxas não possam sofrer variações com o tempo. “Por isso, a importância de conhecer o produto e entender as regras de cada tipo de tesouro. Saber o perfil de investidor no momento de contratar o título também é muito importante”, orienta Juliana.

A especialista defende que o Tesouro Selic é a melhor opção para quem está começando a investir. “É um investimento atrelado à Selic. Se a taxa aumenta, a rentabilidade do tesouro aumenta, se diminui, a rentabilidade cai também”, esclarece.

Segurança é um dos principais atrativos

O Tesouro Direto é o produto financeiro mais seguro do mercado, pois são títulos públicos emitidos pelo Governo federal. Por esse motivo, a modalidade costuma ser popular entre investidores que priorizam a segurança na hora de elaborar a carteira de investimentos. 

De acordo com dados da plataforma do Tesouro Direto, em janeiro o total de investidores ativos, ou seja, aqueles que têm saldo em suas aplicações no programa era superior a 2,5 milhões. Já o montante total investido atingiu a marca de R$130,1 bilhões.

A Abefin explica que a segurança dos títulos se deve ao fato de que uma situação de falência do Governo é muito mais improvável do que a de bancos e instituições que emitem outros títulos financeiros. 

Rentabilidade maior do que a caderneta de poupança

Parte dos brasileiros opta por deixar o dinheiro na caderneta de poupança por achar mais seguro. Pesquisa realizada, em 2023, pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) mostra que 25% das pessoas seguem esse pensamento. 

Porém, em comparação com a poupança, o Tesouro Direto tende a oferecer retornos mais atrativos ao longo do tempo. Isso ocorre porque o rendimento dos papéis está atrelado à taxa Selic, fixada em 10,5% ao ano. 

Já a caderneta rende 70% da Selic, quando a taxa básica de juros é menor do que 8,5% ao ano. Quando ela está acima, como agora, o rendimento é de apenas 0,5% ao mês do valor depositado

Apesar da maior rentabilidade, o Tesouro Direto possui prazo para resgate. Se retirado antes do vencimento, o valor recebido pode ser menor do que o investido, dependendo das taxas de mercado. Portanto, é recomendado para investimentos de médio e longo prazo.

Acessível para todos os bolsos

Há títulos públicos que custam R$30, o que torna o Tesouro Direto uma opção acessível. Em comparação com outros tipos de investimentos, o valor inicial é significativamente menor. 

Isso permite que pessoas com diferentes capacidades financeiras possam começar a investir e construir seu patrimônio. Além disso, a possibilidade de comprar frações de títulos torna o Tesouro Direto ainda mais acessível, pois não é necessário comprar um título inteiro de uma vez. 

Praticidade: investir sem sair de casa

Outra vantagem do Tesouro Direto é a praticidade. Todas as transações podem ser realizadas on-line, sem a necessidade de visitar um banco ou corretora. É possível comprar e vender títulos públicos no conforto de casa, a qualquer hora e dia.

A opção pode ser útil, especialmente, nos casos em que as pessoas não conseguem visitar uma instituição financeira durante o horário comercial. Além disso, a plataforma on-line do Tesouro Direto é intuitiva e fácil de usar, mesmo para aqueles que são novos no mundo dos investimentos.

Bom começo para os investidores iniciantes

O Tesouro Direto é um produto de renda fixa, o que significa que oferece um retorno previsível ao longo do tempo. Isso o torna menos arriscado do que investimentos de renda variável, como ações, que podem flutuar significativamente. 

Além disso, entre os produtos de renda fixa, o Tesouro Direto é considerado o mais barato e seguro, superando opções como CDB, LCI e LCA. Isso faz dos títulos públicos uma alternativa para os investidores iniciantes.